Ponto morto

O impasse, ou ponto de equilíbrio, determina o número de unidades produzidas para as quais a receita e os custos totais são iguais.

Ponto morto

Produzir um nível de unidades maior do que o impasse resultará em benefícios. Ao passo que se uma quantidade de unidades menor que o neutro ocorrer, haverá perdas.

ponto-neutro de lucratividade

Para realizar uma análise baseada no cálculo do ponto morto, estas duas condições devem ser atendidas:

  1. O custo variável unitário deve permanecer constante para qualquer nível de produção.
  2. Estamos perante um mercado de concorrência perfeita, pelo que todas as unidades podem ser vendidas a esse preço.

Como o deadlock ou ponto de equilíbrio é calculado?

O cálculo do impasse corresponde ao denominado “custeio direto” ou modelo de custos diretos na contabilidade de custos porque classifica os custos em fixos e variáveis.

P = preço unitário

Q = volume de vendas (em unidades físicas)

CF = Custos fixos totais

CVU = custo variável unitário

Q = CF / (P-CVU)

Exemplo de cálculo de deadlock ou ponto de equilíbrio

Uma empresa tem custos fixos de 30.000 unidades monetárias, enquanto o preço de venda é de 15 unidades monetárias. Por outro lado, seus custos variáveis ​​unitários são estimados em 6 unidades monetárias. Qual será o impasse da empresa?

Q = CF / (P-CVU) = 30.000 / (15-6) = 3.333 unidades físicas.

Se a empresa vender mais de 3.333 unidades físicas, terá lucro, mas se vender menos, terá prejuízo.

Vantagens de neutro

Dentre as vantagens do impasse, destacam-se as seguintes:

  • Oferece informações sobre os riscos derivados de variações nos volumes de produção.
  • Fornece uma visão clara dos efeitos do aumento dos custos fixos.
  • É usado para determinar a variação dos lucros em face das variações de preço e custo.

Limitações do impasse

No entanto, o impasse tem limitações como as mostradas abaixo:

  • A produção e as vendas geralmente não são processos simultâneos. Assim, o atraso de um na frente do outro produz efeitos no nível de estoques.
  • O volume de produtos vendidos não é, normalmente, independente do preço de venda.
  • Os custos variáveis, decorrentes do ambiente de plena capacidade, podem variar mais do que, proporcionalmente, o aumento da produção.
  • A classificação dos custos em fixos e variáveis ​​depende do horizonte de tempo contemplado.
  • Se a faixa de produção considerada for extensa, os custos fixos podem não permanecer constantes e podem aumentar.
  • Em produções diversificadas, o ponto de equilíbrio pode oscilar por diversos e diversos motivos (áreas geográficas, canais, tipos de clientes).
  • A extrapolação dos dados históricos, se estes não forem estáveis, pode ser arriscada e levar a conclusões erradas.
  • Na análise tradicional, nem o risco nem a incerteza são levados em consideração ao fazer estimativas futuras.
  • Esta análise é válida apenas para o curto prazo.