Era do aço

A Idade do Ferro começou por volta de 1.200 aC. Este período histórico está enquadrado na Idade dos Metais, na pré-história. Seu nome se deve ao fato de que, nessa fase histórica, o homem aprendeu a usar o ferro.

Era do aço

Graças ao desenvolvimento de ferramentas e utensílios de ferro, a humanidade não apenas experimentou um notável desenvolvimento tecnológico, mas também experimentou importantes avanços sociais e econômicos.

No entanto, deve-se levar em conta que não tem origem e fim comuns a todas as civilizações, pois sua duração varia de acordo com as diferentes culturas. Apesar disso, foi determinado que a Idade do Ferro começou por volta de 1.200 aC. C. em lugares como o Oriente Médio, as áreas mediterrâneas e a Índia.

Embora o ferro já fosse conhecido como um metal em períodos anteriores, os procedimentos para fazer ligas e fundições não ocorreram até a Idade do Ferro. Por outro lado, o ferro tinha a vantagem de estar disponível na natureza em maior quantidade do que o bronze.

Estágios da Idade do Ferro

Podemos distinguir duas grandes etapas da Idade do Ferro.

A primeira etapa ocorre entre 1.200 aC e 1.000 aC Caracteriza-se pela consolidação do ferro como principal metal da época, a tal ponto que está presente em todas as facetas do cotidiano.

Na segunda etapa, que termina por volta de 550 aC, serão desenvolvidas técnicas de extração de ferro. Essa descoberta ocorreria por acaso, como ocorreu quando o minério de ferro foi lançado ao fogo, dando origem ao ferro forjado.

É justamente nessa época que os objetos de ferro são produzidos em grandes quantidades.

Principais características da Idade do Ferro

Sem dúvida, a Idade do Ferro consolida o metal que dá nome a esse período como o metal predominante. Graças ao ferro, a humanidade tinha um metal muito mais forte do que o bronze.

Assim, o ferro passou a ser o elemento essencial na produção de utensílios, armas e ferramentas. Não há dúvida de que o ferro produziu mudanças importantes a nível social, cultural, econômico e militar.

Entre os fatos mais notáveis ​​estão os seguintes:

  • Produção de armas em grandes quantidades.
  • Crescimento populacional.
  • Presença celta e invasões na Europa.
  • As cidades fortificadas proliferam.
  • O ferro concede poder militar às civilizações que o possuíram.
  • Aumento dos conflitos de guerra.
  • O desenvolvimento das técnicas de fundição desloca o bronze, que fica em segundo plano e será utilizado para fins ornamentais.
  • As principais atividades econômicas das sociedades da Idade do Ferro eram a agricultura e a pecuária. Graças ao ferro, surgiram melhorias ao trabalhar a terra.
  • São obtidas armas e ferramentas de alta qualidade.

Como era a sociedade na Idade do Ferro?

A ascensão do ferro como o principal metal levou a profundas mudanças sociais. Assim, no trabalho e na guerra, armas e ferramentas mais fortes e resistentes estavam disponíveis.

Precisamente o ferro trouxe evoluções em uma economia baseada na agricultura e na pecuária, que agora teria aprimoramentos técnicos. Assim, surgiram foices e pontas de arado que permitiram avanços importantes na área agrícola. Graças ao ferro, a eficiência da agricultura aumentou, já que era possível colher mais e com menos tempo.

Esta revolução também afetou os assentamentos humanos, uma vez que a sociedade está agrupada em cidades fortificadas que seriam a origem das cidades muradas medievais. Na verdade, o uso de palha e madeira foi abandonado na construção de casas, dando lugar a construções de pedra.

Vale ressaltar também que, durante a Idade do Ferro, as trocas entre diferentes povos aumentaram graças ao desenvolvimento de invenções como a roda e o veleiro.