Democracia

A democracia é um modelo de governo em que o poder de decisão em questões econômicas, políticas e sociais cabe à população. Ele usa esse poder para eleger seus representantes e formar instituições.

Democracia

Na democracia, o rumo que um determinado território ou país toma é estabelecido por meio das maiorias sociais existentes entre a população que o compõe.

Essas representações populares podem se originar por meio de sufrágios e votos de várias maneiras. Isso, por meio de eleições territoriais e nacionais para a eleição de parlamentos ou do uso de um referendo para uma questão específica.

Normalmente é feita uma distinção entre democracia direta (por meio de consultas ou referendos é feita uma eleição) ou indireta e representativa (um voto público ou consulta é usada para eleger representantes públicos que, a partir de agora, ficarão a cargo da tarefa do Estado administração e governo).

Por meio dos modelos de Estado democrático é possível garantir a coexistência de diferentes grupos sociais de um mesmo país, coletando suas diferenças de forma social e política e vendo seus interesses defendidos na forma de uma legislação, como uma constituição.

Origem e história da democracia

A origem e a história da democracia estão localizadas na Grécia Antiga, especificamente em Atenas. Mas era um sistema muito diferente do atual, pois apenas homens livres participavam das decisões e que não eram estrangeiros. Apenas estes eram considerados cidadãos, excluindo mulheres, escravos e aqueles que não eram atenienses.

A democracia ateniense foi estabelecida no século 6 aC. Também se caracterizou pela participação direta dos cidadãos por meio de uma assembleia a partir da qual foram tomadas as decisões. Ou seja, não era um sistema representativo como o que temos agora nos parlamentos.

Os modelos de governo em democracia evoluíram, na medida em que o conceito de cidadania se desenvolveu e os totalitarismos foram diminuindo progressivamente no mapa global.

O que foi dito anteriormente é observável na forma como o espectro democrático tem progressivamente incluído novos núcleos sociais. Isso, desde o conceito de cidadãos e proprietários de terras poderosos até o de nova burguesia, ampliando o escopo de renda necessário para votar à medida que a história e suas sociedades progrediam.

Devemos enfatizar que outra virada na história da democracia foram as revoluções ocorridas na Europa no século XVIII. Isso resultou na queda dos regimes absolutistas que concentravam o poder na figura do monarca. Talvez a referência mais conhecida seja a Revolução Francesa de 1789, mas também há o antecedente da revolução inglesa do século XVII que resultou na limitação dos poderes do rei.

Democracia no contexto contemporâneo

O surgimento de soberanias nacionais e populares empurrou, após o Iluminismo do século 18, para a expansão e aprofundamento da democracia na maioria das sociedades, especialmente no Ocidente.

Devemos lembrar que a ilustração foi um movimento intelectual baseado na razão onde paradigmas pré-estabelecidos começaram a ser questionados. Assim, surgiram ideias revolucionárias, como a de que não deveria haver pessoas que por herança tenham o direito de liderar uma nação.

Desde as últimas décadas, com o incipiente protagonismo das mulheres na configuração das sociedades modernas e de suas democracias, o sufrágio universal foi conquistado.

Nesse sentido, por conceito, a democracia se posiciona contra modelos totalitários, como as ditaduras fascistas ou comunistas, bem como contra outras formas absolutas de poder, como a autocracia.

No entanto, devemos levar em conta que as democracias podem enfrentar ameaças como o populismo. Assim, pode haver líderes que chegam ao governo por meio de eleições, mas depois agem para se perpetuar no poder com o apoio do povo e / ou por meio de uma máquina que lhes permite controlar as instituições democráticas e todos os poderes do Estado. .

Características da democracia

As características e princípios da democracia são os seguintes:

  • Existe uma constituição que estabelece os direitos e deveres dos cidadãos, bem como a forma como funcionam os poderes do Estado.
  • Divisão de poderes, ao contrário do absolutismo que concentra todos os poderes do monarca.
  • Todos os cidadãos têm o direito de ser votados e de votar diretamente nos seus dirigentes ou nos representantes que os elegerem. A eleição, principalmente do primeiro-ministro, pode ser direta ou indiretamente, por meio de representantes.
  • O sufrágio é universal, já não se limita apenas aos homens ou a uma certa minoria privilegiada, basta a maioridade.
  • Presença de diferentes partidos políticos que disputam representação no Parlamento, e que também vão disputar quem vai liderar o Poder Executivo. Em outras palavras, existe pluralismo político.
  • Alternância de governo, para que um único presidente ou partido político não permaneça no poder indefinidamente.
  • Os poderes do Estado (legislativo, executivo e judicial) não são apenas separados, mas independentes e um funciona como contrapeso do outro.
  • Liberdade de expressão da cidadania e liberdade de imprensa.
  • Proteção dos direitos humanos.

Tipos de democracia

Os principais tipos de democracia são:

  • Democracia direta: É um sistema político em que as decisões são tomadas pelos cidadãos por meio do voto em assembleia. Foi aplicado na Grécia Antiga, mas seria inviável hoje, uma vez que todos os cidadãos de uma nação teriam que se reunir para votar em cada uma das leis que os regerão,
  • Democracia indireta ou representativa: O povo elege seus representantes, por meio de sufrágio, e é ele quem toma as decisões.
  • Democracia semidireta: Combina os dois sistemas anteriores porque, embora o povo eleja seus representantes, tem o direito de decidir sobre determinados assuntos. Isso, por meio de mecanismos como referendo ou plebiscito.
  • Democracia parlamentar: os cidadãos elegem os seus representantes no Poder Legislativo e são estes que indicam o chefe do governo. Ou seja, ao contrário da democracia indireta, o povo abre mão do direito de escolher quem vai liderar o Poder Executivo.
  • Democracia parcial: embora possa haver liberdade de expressão e eleições, os cidadãos têm acesso limitado às informações sobre as ações de seus líderes.
  • Democracia liberal: esta categoria geralmente se enquadra em qualquer democracia onde existe uma constituição e os direitos e liberdades dos cidadãos são respeitados. Além disso, a alternância de poder é garantida.

Vantagens e desvantagens da democracia

Entre as vantagens da democracia podemos destacar:

  • Vamos ouvir a voz de todos os cidadãos. Eles participam da tomada de decisões, seja diretamente, por exemplo, por meio de um referendo, ou indiretamente, votando em seus representantes no Legislativo, por exemplo.
  • As minorias podem obter representação e proteção.
  • O debate público sobre temas de interesse do país é permitido.
  • Existem equilíbrios entre os diferentes poderes do Estado, evitando que as atribuições se concentrem numa única pessoa ou partido político.
  • Permite que os cidadãos expressem seu desacordo com a opinião de seus líderes.

Da mesma forma, a democracia mostra algumas desvantagens:

  • Pouca velocidade na tomada de algumas decisões se os cidadãos ou seus representantes não conseguirem chegar a um acordo.
  • Em certas circunstâncias, a maioria pode impor suas opiniões, deixando as minorias de lado.
  • Os cidadãos mais aptos nem sempre são eleitos governantes.
  • As disputas políticas podem gerar polarização, ou seja, as pessoas tenderão a apoiar lados opostos. Isso, apesar de se poder supor que a maioria das pessoas não possui posições extremas.
  • Grupos de poder, ou certas pessoas em particular, podem usar a política em seu próprio benefício. Em outras palavras, a corrupção pode ser gerada.

Exemplos de democracia

Mencionamos alguns exemplos de democracia, como na Grécia Antiga. Outro exemplo seriam os Estados Unidos, que não elegem o presidente diretamente, mas o Parlamento.

Da mesma forma, temos países onde existe uma monarquia, mas ela não exerce um poder efetivo. Assim, os cidadãos elegem democraticamente um Parlamento que, por sua vez, nomeia um chefe de governo. Exemplo: Reino Unido.