Capital fixo

Capital fixo, ativo não circulante, ativo imobilizado são os ativos da empresa que apresentam condição de uso de longo prazo, como terrenos, patentes, investimentos e similares.

Capital fixo

Ou seja, inclui todos os ativos da empresa que não se deterioram, expiram ou expiram em menos de um ano. Eles devem permanecer em equilíbrio por mais de um ciclo de negócios.

Para que serve

A principal missão deste capital é sustentar a atividade principal da empresa ao longo do tempo, uma vez que a sua ausência pode dificultar ou mesmo impossibilitar o seu bom funcionamento. Isso pode variar dependendo do setor, pois embora um edifício seja um ativo fixo (ou capital) essencial no negócio de hotelaria, não é da mesma forma no setor de comunicação.

Assim, dependendo do capital fixo que analisamos e do setor que almejamos, este terá uma maior ou menor relevância na atividade normal da empresa.

Tipos de capital fixo

O capital fixo pode ser dividido em três grandes grupos:

  • Ativos fixos tangíveis: são constituídos por ativos tangíveis, tais como edifícios, terrenos, máquinas, equipamento informático, etc.
  • Ativos intangíveis: são agrupados principalmente em propriedade industrial, propriedade intelectual, direitos autorais, patentes, software empresarial, etc.
  • Investimentos de longo prazo: Consiste na soma de todos os investimentos com vencimento superior a um ano.

A lista completa dos ativos tangíveis e intangíveis de uma empresa pode ser consultada no plano de contas do respectivo país.

Exemplos práticos de capital fixo

A seguir vamos colocar 3 exemplos de capital fixo que têm maior ou menor relevância dependendo do setor de negócios:

1. Ativos fixos tangíveis: terrenos e edifícios.

  • Por um lado, a deterioração ou falta destes terá um impacto maior nas empresas que se dedicam ao turismo, serviços diversos (cabeleireiro, massagens, estética …) ou lazer.
  • Por outro lado, as empresas que não acusariam excessivamente o impacto de não possuir edifícios ou terrenos seriam aquelas que poderiam exercer a sua atividade de forma digital. Os exemplos são bancos, serviços de consultoria ou gestão.

2. Ativos intangíveis: software e patentes.

  • As empresas que veriam redução na produção ou na prestação de serviços são, por exemplo, as ligadas à mídia ou comercialização de equipamentos de informática.
  • Por outro lado, os sectores que podem sobreviver em melhores condições se faltarem os referidos bens ou capital fixo são os que agrupam maioritariamente o sector primário, como seja a pesca, a agricultura ou a pecuária.

3. Investimentos de longo prazo: empréstimos e operações financeiras a favor.

  • As entidades bancárias e as empresas de serviços financeiros seriam, sem dúvida, os maiores perdedores neste caso.
  • No entanto, negócios que não têm grande peso no balanço patrimonial em investimentos sofrerão menos as consequências de sua deterioração ou perda de valor.