Capacidade de produção

A capacidade de produção é o teto de obtenção máxima de bens e serviços que pode ser alcançado por unidade produtiva durante um período de tempo limitado.

Capacidade de produção

A capacidade de produção é a capacidade que uma unidade produtiva possui de produzir seu nível máximo de bens ou serviços com uma série de recursos disponíveis. Para o seu cálculo, tomamos como referência um determinado período de tempo. Este indicador é amplamente utilizado na gestão empresarial. Pois, se uma unidade de produção está produzindo abaixo de sua capacidade de produção, esta unidade não está sendo explorada em seu desempenho máximo.

Se queremos obter aumentos, bem como reduções, na capacidade de produção, estes estão ligados a processos de investimento ou desinvestimento. Ou seja, se quisermos aumentar a capacidade de produção de uma fábrica, a empresa deve investir em uma nova máquina que tenha capacidade de produzir mais.

Por fim, devemos ter em mente que a capacidade de produção é sempre medida levando em consideração um uso ótimo dos recursos, bem como a posse de meios produtivos em condições normais de operação.

Diferença entre capacidade de produção e volume de produção

Esses dois conceitos não devem ser confundidos. Quando falamos em capacidade de produção, estamos falando sobre a quantidade máxima de bens e serviços que uma unidade de produção pode produzir, em condições normais de operação, bem como a utilização ótima dos recursos. Por outro lado, o volume de produção mede a quantidade de bens e serviços que uma unidade produtiva tem sido capaz de produzir com os recursos disponíveis e, nem sempre em condições normais de operação.

Desta forma, enquanto a capacidade de produção mede o nível máximo de produção que uma unidade de produção pode atingir, o volume de produção mede o resultado que foi finalmente produzido com as diferentes unidades de produção. Ou seja, o volume de produção não é necessariamente igual à capacidade de produção, uma vez que a unidade de produção pode estar operando abaixo de seu nível de desempenho máximo, obtendo um volume de produção menor, em contraste com sua capacidade de produção.

Na gestão empresarial, é muito útil conhecer os dois fatos. Dessa forma, se conhecermos o volume de produção e sua capacidade de produção, podemos saber quanto as unidades de produção estão deixando de produzir em cenários em que os volumes de produção não atingem sua capacidade de produção. Basta subtrair o volume de produção e a capacidade de produção.

Diferença entre capacidade de produção e capacidade de produção ideal

Esses dois conceitos também não devem ser confundidos. Em muitos cenários, a capacidade de produção mede o nível máximo de produção por unidade produtiva, usando todos os recursos disponíveis em condições operacionais favoráveis. Porém, em muitas ocasiões, as unidades produtivas não conseguem sustentar seu nível máximo de produção no longo prazo, enquanto a demanda nem sempre exige a produção em sua capacidade máxima.

Para isso, utiliza-se o conceito de capacidade ótima de produção. Ou seja, o nível máximo em que uma unidade produtiva pode produzir, de forma sustentável no longo prazo. Ou seja, em condições normais, que é o nível máximo no qual uma unidade produtiva pode produzir de forma sustentável por um longo período de tempo. Este conceito, da mesma forma, é muito útil na gestão empresarial, uma vez que nem sempre temos capacidade para ter as nossas unidades produtivas no seu desempenho máximo, sustentando esse desempenho a longo prazo. Qualquer evento pode causar a paralisação da produção, acarretando sérios problemas para a empresa.

Planejamento da capacidade de produção

Como dissemos, a capacidade de produção deve ser sempre medida em um determinado período de tempo. Ou seja, quando queremos fazer um planejamento ou saber qual foi a capacidade de produção, devemos levar em consideração o fator tempo. Desta forma, o planejamento da produção é feito da mesma forma. Se quisermos planejar a produção, devemos especificar o nível de capacidade de produção das diferentes unidades de produção com um desempenho ideal para a empresa.

Para fazer isso, o planejamento da produção é feito a partir de diferentes momentos, que são:

  • Curto prazo (menos de 6 meses)
  • Médio prazo (entre 6 e 18 meses)
  • Longo prazo (a partir de 18 meses)

Agora, para realizar o planejamento da produção nas diferentes óticas, devemos ter em mente que a capacidade de produção no longo prazo condiciona sempre as capacidades no curto e médio prazo, o que pode requerer uma série de adaptações de processos para atingir os objetivos definidos por a empresa.

Desta forma, se quisermos planejar a produção, devemos levar em consideração uma série de fatores:

  • Previsão de demanda esperada.
  • Identificação da capacidade necessária para atender a demanda.
  • Identificação de alternativas nos casos de não conseguir satisfazê-la.
  • Avaliação e tomada de decisão.

Desta forma, podemos realizar um planejamento de produção que determina o bom desempenho da empresa nos diferentes prazos planejados.

Que fatores condicionam a capacidade de produção?

A capacidade de produção de uma unidade produtiva é sempre condicionada por uma série de fatores. Esses fatores determinam a possibilidade de produzir mais ou menos em um período limitado de tempo.

Portanto, podemos classificar esses fatores condicionantes em duas categorias:

  • Fatores internos.
  • Fatores externos.

Dentre os fatores internos que podem condicionar a capacidade produtiva, vale destacar:

  • Equipamentos e manutenção.
  • Instalações.
  • Distribuição da planta de produção e do processo de produção.
  • Recursos disponíveis.
  • Empreendedorismo.
  • Sistemas de controle de qualidade.
  • Gestão de empregos.
  • Gestão de trabalhadores.
  • Projeto de produto ou serviço.
  • Recursos financeiros.

Por outro lado, entre os fatores externos que podem condicionar a capacidade produtiva, vale destacar:

  • Estrutura institucional.
  • Ambiente político.
  • Legislação e regulamentação vigente.
  • Acordos coletivos sindicais.
  • Acordos da empresa.
  • Capacidade do provedor.
  • Ambiente econômico.
  • Competição de negócios.
  • Relacionamento com instituições de crédito.

Esses fatores internos e externos devem sempre ser levados em consideração, pois condicionam nossa capacidade de produção, bem como o funcionamento da empresa.

Como é calculada a capacidade de produção?

Se quisermos saber qual é a capacidade de produção de uma unidade produtiva, a fórmula de cálculo é bastante simples. A forma de o fazer seria, em primeiro lugar, calculando o número de horas por unidade produtiva que temos disponíveis. Ou seja, se tivermos uma jornada de trabalho de 8 horas em que temos 10 unidades de produção, o número total de horas de produção é de 80 horas.

Em segundo lugar, devemos medir a capacidade de produção de um produto, com base na unidade produtiva e nas horas disponíveis. Ou seja, devemos dividir a capacidade de produção de um item pelo número de horas disponíveis, obtendo assim a capacidade de produção diária. Em outras palavras, suponha que cada unidade produtiva leve 1 hora para fabricar uma unidade do bem ou serviço. Para o cálculo, devemos dividir o número de horas disponíveis (80) pelo tempo que leva para produzir uma unidade de produção para produzir uma unidade de produto ou serviço (1). Assim, obteríamos a capacidade de produção diária.

No exemplo, a capacidade de produção diária seria de 80, já que temos 80 horas de produção por dia, enquanto cada unidade fabricada leva, em média, 1 hora para produzir.

Terceiro, e muito mais simples. Se quisermos medir a capacidade de produção mensal das unidades de produção, basta pegar a capacidade diária obtida na etapa anterior e multiplicá-la pelos dias úteis que temos no mês. Da mesma forma, seria feito para calcular a capacidade de produção anual, já que deveríamos multiplicar pelo número de dias trabalhados em um ano.

Posteriormente, com esses dados, já pudemos obter outra série de indicadores como o volume de produção ou o índice de eficiência. Ou seja, se sabemos que a capacidade de produção diária é de 80 unidades, se estamos produzindo 40, podemos saber que a taxa de utilização é de 50%. Ou seja, o volume de produção estaria operando a 50% em relação à sua capacidade de produção.